É mentira que chacoalhar o celular com o Facebook aberto ativa denúncia de abuso contra a mulher

Publicado originalmente em Âncora dos Fatos. Para acessar, clique aqui.

Circula nas redes sociais uma postagem replicada em diferentes meios e que volta e meia retorna aos grupos de WhatsApp e Facebook, em que afirma que ao chacoalhar o celular com o Facebook aberto, é possível denunciar um abuso contra uma mulher.

A postagem que circula com o texto: “Mulheres testem! Acabei de descobrir que se você estiver com o face aberto e chacoalhar o celular, ele te pergunta se você está com algum problema (inclusive se está sendo vítima de abuso). Vi no perfil de uma mulher, testei e aparece mesmo a mensagem. #você não está sozinha” contém informação inverídica.

Isso porque o Facebook não é um meio oficial para denunciar uma violência contra a mulher direcionada a uma autoridade policial e ou judiciária. Ao sacudir o celular, como sugere a postagem com informação falsa, o Facebook aciona uma mensagem de denúncia, mas ela não se refere a abuso ou violência contra a mulher, e sim contra as práticas do próprio Facebook.

A equipe do Âncora dos Fatos fez o experimento. Ao sacudir o aparelho, os usuários têm a possibilidade de relatar problemas técnicos, os “bugs”, no aplicativo da rede social através do celular. Ou seja, a frase “como denunciar abuso”, a qual aparece ao sacudir o celular, se refere a denunciar um problema técnico no próprio Facebook e não a um abuso de cunho violento ou sexual contra a mulher.

Ao abrir a aba “Como denunciar algo”, após chacoalhar o celular, é possível ler as opções “Denunciar conteúdo: perfis, publicações, publicações na sua linha do tempo, fotos e vídeos, mensagens, páginas, grupos”.

Em tese, as pessoas que compartilharam essa publicação nas redes sociais sequer abriram a mensagem que aparece, pois caso tivessem lido, identificariam que essa é uma ferramenta para denunciar problemas técnicos do Facebook.

Canais oficiais e verídicos para denunciar violência contra a mulher

Para denunciar casos de violência contra a mulher, é possível ligar gratuitamente para o 180, a Central de Atendimento à Mulher, que presta uma escuta e acolhida qualificada às mulheres em situação de violência. Também é possível ter acesso ao atendimento por meio de uma ligação gratuita para o número 180, por meio de um e-mail para ligue180@mdh.gov.br, pelo aplicativo Proteja Brasil ou no site da ouvidoria.

  • O telefone 190 também pode ser utilizado para contatar uma autoridade policial.
  • Mulheres vítimas de violência virtual podem buscar ajuda do Disque Denúncia Mulher por meio do telefone (41) 3210-2531.
  • Pra entrar em contato com o Disque Direitos Humanos basta ligar para o número 100. O serviço funciona 24 horas por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.
  • É ainda possível denunciar através do Ministério Público do Paraná

Sinal Vermelho em farmácias

A campanha “Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica” é uma forma silenciosa de denúncia colocada à disposição da vítima que, na primeira oportunidade que consegue sair de casa, dirige-se à farmácia ou drogaria cadastrada na campanha e apresenta o sinal vermelho na palma da mão, feito com batom ou qualquer material disponível, permitindo ao farmacêutico ou atendente – somente com informação de seu nome, endereço e número de telefone, que acione a Polícia Militar.

É uma campanha que coloca as farmácias como agentes na comunicação contra a violência doméstica, fruto de uma parceria entre a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), contando com o apoio de várias entidades.
Baixe aqui a Cartilha da Campanha Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica.

Botão do Pânico

No Paraná, algumas cidades colocaram à disposição o “Botão do Pânico”, uma ferramenta veiculada ao “App 190”. O botão é liberado apenas para mulheres que possuam medidas protetivas de urgência, concedidas através da Lei Maria da Penha. Ele possui duas funcionalidades: o acionamento imediato da Polícia Militar, que terá acesso à geolocalização do celular e fará um atendimento de emergência por meio das informações disponíveis no aplicativo. E a segunda é a gravação do som ambiente durante 60 segundos, que é enviada à equipe policial como material de apoio para a compreensão do contexto da emergência.

Número de denúncias de violência contra a mulher

Segundo o relatório do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos publicado em março de 2021, o Brasil registrou 105.821 denúncias de violência contra a mulher em 2020 através dos números Ligue 180 e Disque 100.

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin
Share on telegram
Share on google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Fonte
Contraste