Prêmio Nobel de Medicina declarou que vacinados contra a Covid-19 irão morrer em dois anos?

Publicado originalmente em Coar Notícias por Kryssyno Oliveira. Para acessar, clique aqui.

Uma imagem compartilhada nas redes sociais afirma que o virologista francês e professor Luc Montagnier, que também é vencedor do Prêmio Nobel de Medicina de 2008 declarou que pessoas vacinadas contra o novo coronavírus irão morrer em dois anos. A COAR checou a imagem abaixo com texto:

Reprodução/WhatApp

O conteúdo checado pela COAR é falso. O primeiro ponto que a COAR observa é a forma como o texto está escrito, em tom alarmante, de que as pessoas vacinadas irão morrer em dois anos, o que cientificamente não é verdade. O segundo ponto que torna a mensagem falsa é a manipulação do texto, que durante a entrevista citada o virologista teria falado sobre mortes, e na original, do site americano “RAIR Foundation“, Prof. Montagnier falou da criação de variantes da Covid-19 por meio das vacinas. O próprio veículo também divulgou uma notícia desmentindo o fato deturpado.

Variantes

Alguns especialistas já debateram sobre a suposta teoria de que as vacinas criam variantes, o que também não é verdade, já que a função delas é treinar e preparar as defesas naturais do corpo – o sistema imunológico – para detectar e combater vírus e bactérias selecionados. Se o corpo for subsequentemente exposto a esses patógenos, estará pronto para destruí-los imediatamente, evitando doenças.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), todas as vacinas usadas para a imunização são seguras e protegem contra as formas graves e críticas da doença. Além disso, é necessário que todas as pessoas sejam imunizadas o quanto antes, para evitar que o vírus circule entre as pessoas, mesmo naquelas já imunizadas. 

“Mesmo quem já se vacinou, deve continuar com as demais medidas de prevenção: manter distanciamento físico, evitar aglomerações, usar máscara corretamente, higienizar frequentemente as mãos e manter ambientes arejados”, recomenda a SBI, pois, mesmo quem já se vacinou pode vir a contrair o vírus e transmitir para outras pessoas.

Outra recomendação dos especialistas é com relação às doses, é necessário que todas as pessoas tomem as duas doses das vacinas, pois nenhum imunizante é 100% eficaz. É preciso estar atento ao calendário de vacinação, do estado ou cidade, e não perder prazo.

Vacinação

De acordo com o Vacinômetro, ferramenta de monitoramento de vacinação do Ministério da Saúde, no Brasil, até o dia 02/06, cerca de 68.244.216 brasileiros já foram imunizados contra à Covid-19, sendo 45.940.210 pessoas com a primeira dose e 22.304.006 pessoas com a segunda dose.

A COAR ressalta que ao receber uma mensagem duvidosa, desconfie e não forneça seus dados antes de ter certeza de que é verdadeira. Qualquer dúvida nos contate pelo nosso WhatsApp (86) 99517-9773 ou pelo Instagram (@coarnoticias).

Referências da COAR:

Organização Mundial da Saúde (OMS)

RAIR Foundation

Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI)

Ministério da Saúde

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin
Share on telegram
Share on google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Fonte
Contraste