Desinformação científica em tempos de crise epistêmica: circulação de teorias da conspiração nas plataformas de mídias sociais

Publicado originalmente em Nujoc Checagem. Para acessar, clique aqui.

Artigo da Professora Doutora Thaiane Oliveira da Universidade Federal Fluminense, publicado no início de 2020 pela Revista Fronteiras: estudos midiáticos, da Unisinos,  enfoca a disseminação da desinformação sobre a Ciência nas redes sociais.

A pesquisa procurou mapear a circulação de informações sobre teorias da conspiração mais frequentes no Brasil, buscando identificar os atores, os discursos e as interações em diferentes plataformas digitais.

A autora utilizou metodologia mista para identificação dos fluxos informacionais entre adeptos de teorias da conspiração no Facebook, Whatsapp e YouTube e os resultados obtidos revelam que, ainda que se tenha desconfiança sobre a relação entre ciência, governo e indústria, a autoridade científica é um capital simbólico de extrema importância para a circulação da informação de teorias da conspiração relacionadas à ciência.

Para conhecer a pesquisa acesse aqui.

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin
Share on telegram
Share on google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Fonte
Contraste