Diretor-Geral da OMS afirma que terceira dose da vacina é ‘imoral’?

Publicado originalmente em Nujoc Checagem por Mayra Alessandra. Para acessar, clique aqui.

Colocar frases ou falas fora de contexto, distorcer mensagens ou discursos e o emprego de manchetes atraentes e sensacionalistas também são exemplos de fakes News (notícias falsas). O Instagram da Verum Vitae publicou em seu perfil uma fala do Diretor-Geral da OMS (Organização Mundial de Saúde), Tedros Adhanom, falando que a dose reforço da vacina contra a Covid-19 é imoral. No decorrer da publicação foi reforçado ainda que “alguns” cientistas afirmaram que a terceira dose da vacina é desnecessária.

Em coletiva de imprensa realizada no mês de outubro, Tedros Adhanom, pontuou que o uso crescente de reforços é “imoral, desigual e injusto” e tem que parar.  “Começar reforços agora é realmente o pior que podemos fazer como comunidade global. É injusto e também cruel porque não vamos parar a pandemia ignorando um continente inteiro, um continente que não tem nenhuma capacidade de fabricação de outros meios”, disse. (Com informações da CNN Brasil).

O motivo da fala do Diretor não foi ressaltar que a terceira dose da vacina seja insignificante ou desnecessária e, sim questionar o fato de que a vacina não chegou sequer em países do continente Africano. A desigualdade social presente, não só, no continente é refletida na escassez de doses do imunizante e na forte desigualdade da distribuição entre países da África, em relação a campanha de vacinação, como aponta os dados da Africa Centres for Disease Control and Prevention (CDC África).

Portanto, é importante ressaltar os benefícios da vacinação para a prevenção da covid-19, pois, o imunizante é a forma mais eficaz de frear a contaminação e o surgimento de novas variantes do coronavírus. Apenas a vacina protege as pessoas da doença e diminui o risco de contágio.

Além disso, os órgãos de saúde recomendaram o uso da terceira dose da vacina, após estudos demonstrarem que pessoas acima de 60 anos apresentam queda nos anticorpos depois de 180 dias.

“A maioria dos idosos, assim como ocorre com a vacina da Influenza, fica com a titulação alta de anticorpos 15 dias depois que recebe a vacina e mantém essa titulação de anticorpos. É uma quantidade de anticorpos circulantes que nos protege ao longo de meses. Seis meses é o período de segurança em que essa circulação se mantém alta. Se eu estou falando de um idoso e de um imunodeprimido, a tendência é que esse plator de anticorpos que está circulando venha a decair”, esclarece a subcoordenadora de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Doiane Lemos.

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin
Share on telegram
Share on google

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Fonte
Contraste