Vacinas da China contém nanochips que diminuem a imunidade?

Publicado originalmente em Nujoc Checagem por Giovanny Freitas. Para acessar, clique aqui.

O impacto que o novo coronavírus causou na ordem social no mundo inteiro, provocou uma corrida desenfreada por soluções para conter os danos ocasionados pelo vírus, interrompeu milhares de vidas e desestabilizou os parâmetros da econômica global. Diante da urgência em salvar vidas e entender mais a respeito do agente causador de tanto estrago, a solução mais efetiva e segura, seria encontrar, desenvolver e distribuir uma vacina que poderia imunizar a população mundial e interromper a cadeia de transmissão e de óbitos causados pelo novo coronavírus.

Muitas incertezas e acusações vieram à tona e fragilizaram ainda mais as relações internacionais entre as maiores potências do mundo, sobretudo, entre China e Estados Unidos, onde críticas infundadas e de cunho político distorcido deram margem para um fogo cruzado de informações falsas que culminaram em incontáveis conclusões equivocadas sobre o andamento da ciência no combate contra a Covid-19.

Com os testes de algumas vacinas em humanos finalizadas e em processo de regulamentação, muito burburinho surge no campo das relações internacionais, inclusive, na produção de Fake News a respeito dos efeitos que estas candidatas a vacina podem provocar no organismo humano. No bojo das informações falsas que circulam pela internet, recentemente, em grupos de whatsapp, surgiu a informação de que um nano-chip virá misturada a vacina produzida pela China (CoronaVac) produzida pela empresa também chinesa, Sinovac. A mensagem diz que  este dispositivo serviria para controlar as pessoas por meio da tecnologia 5g, e que seriam capazes de criar doenças em humanos, diminuir nossa imunidade, ter acesso a nossa localização dentre outas inverdades. Confira a foto com o boato falso abaixo:

Foto com informação falsa sobre nanochips misturados a vacina

Nenhuma das vacinas produzidas utiliza essa tecnologia atualmente. De acordo com a reportagem produzida pelo portal Estadão, em entrevista ao veículo de notícias, o pediatra, infectologista e diretor da Sociedade Brasileira de Imunização (SBIM), Renato Kfouri, informou que ” nenhuma das vacinas que estão sendo pesquisadas para combater o novo coronavírus usa nanochips ou 5g. Além disso, não há provas que essas tecnologias possam interferir na saúde das pessoas. Hoje as vacinas em desenvolvimento são vacinas de tecnologias diferentes, mas nenhuma delas usa nanochip ou qualquer outro tipo de recurso dessa natureza”.

Além da incongruência e imprecisão destas afirmações, é preciso lembrar que no Brasil, sequer há uso da tecnologia 5g regulamentada no país. A notícia falsa ainda cita envolvimento de personalidades como Bill Gates, que assim como as demais imprecisões da informação, não passa de conteúdo falacioso e sensacionalista. De acordo com as checagens realizada pelas agências Aos FatosAFP e Colombia Check, com a utilização de mecanismos de busca de imagem reversa, essa mesma imagem utilizada no informativo  também foi utilizada em uma publicação na rede social  Reddit, em 2017. A imagem é de um capacitor de tamanho 008004, no qual este pequeno componente eletrônico com a função de armazenar cargas elétricas. Portanto, essas informações não possuem qualquer fundamento.

Não compartilhe informações falsas. A pandemia da desinformação contribui para o agravamento da credibilidade dos fatos relativos aos avanços da ciência no enfrentamento ao novo coronavírus. Compromete a funcionalidade do jornalismo e dos profissionais da comunicação e corrobora para a instauração da ignorância induzindo ao engodo produzido pelas Fake News.

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin
Share on telegram
Share on google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Fonte
Contraste