RNCD e Instituto Devir Educom realizam oficina que trabalha Metodologia do projeto Memórias em Rede

Publicado originalmente em Instituto Devir Educom. Para acessar, clique aqui.

Ao comemorar um ano de parceria com a Rede Nacional de Combate à Desinformação (RNCD), o Instituto Devir Educom oferece a oficina Metodologia dos Círculos, de forma on-line, nos dias 16 e 23 de agosto, que visa contribuir com educadores e demais interessados sobre a importância de trabalhar jornalismo, educação midiática e aspectos da memória individual, coletiva e social em espaços formais e não-formais de aprendizagem. A formação faz parte do Círculo Memórias em Rede de Oficinas, um braço do projeto que leva o mesmo nome e atende comunidade escolar e alunos da escola básica.

O oficina objetiva ainda auxiliar os participantes na comunicação com os mais variados públicos, seja no trabalho, na escola ou na vida social, a partir do método EFET (Eu, Família, Escola e Território). E está ancorada pela Educomunicação, campo teórico-prático que atua nas interfaces da Educação e da Comunicação.

EDUCOMUNICAÇÃO

A Educomunicação, como campo de estudo, surgiu no Brasil na década de 1990, visando promover o colaborativismo, a participação social, o diálogo horizontal, a livre expressão comunicativa e o protagonismo de agentes ligados às interfaces representadas. Se desenvolve em espaços educativos formais e não-formais, e atua de forma interdisciplinar e transdisciplinar, contribuindo com a melhoria da gestão da comunicação e com a construção de ecossistemas comunicativos mais democráticos. Utiliza-se também de instrumentos da comunicação e da tecnologia, agindo como canais de expressão para os sujeitos envolvidos, entre crianças, adolescentes, adultos e idosos.

MEMÓRIAS EM REDE

Seguindo aos princípios da Educomunicação, a base teórica das atividades do projeto Memórias em Rede se concentra em Paulo Freire, por meio de publicações como Pedagogia do Oprimido, Extensão ou Comunicação?, Educação e Mudança e Política e Educação; além de obras de Jesus Martin-Barbero, Lev Vygotsky, Anton Makarenko, Edgar Morin, Ecléa Bosi, Mário Kaplún, Ismar de Oliveira Soares, Adilson Citelli, para citar alguns.

O argentino Mário Kaplún, assim como Paulo Freire, são os mais importantes nomes no assunto. Há quem diga que foi por meio de Kaplún que surgiu a denominação “educomunicador”, utilizada para representar o profissional que atua em projetos de jornalismo no campo da educação. “Kaplún e Paulo Freire são duas importantes referências em nossas atividades com o projeto Memórias em Rede, por isso, também são lembrados em nossas formações”, comenta a presidente do Instituto Devir Educom, Andressa Luzirão.

Para ela, as oficinas fundamentadas nas atividades do projeto com os adolescentes são uma forma de multiplicar as ações e os resultados nas mais variadas áreas. A gestora do Instituto também ressalta a figura de Ismar Soares, que esteve à frente de pesquisa da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), realizada há mais de 20 anos, sistematizando práticas nas interfaces entre Educação e Comunicação na América Latina e a emergência desse novo campo, a Educomunicação. “Além disso, a palavra teve a recente conquista de integrar o dicionário da Academia Brasileira de Letras, o que mostra sua importância nas políticas públicas e na educação dos novos tempos”, lembrou Andressa.

Mais informações sobre as oficinas:

Oficina 1 – Círculos da Memória – Eu e Família

Data: 16 de agosto, das 19h às 21h

Oficina 2 – Círculos da Memória – Escola e Território

Data: 23 de agosto, das 19h às 21h.

Formato online e gratuito

Formato online e gratuito

Inscrições aqui.

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin
Share on telegram
Share on google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Fonte
Contraste