Óleos essenciais e COVID-19

Publicado originalmente em COVID-19 DivulgAÇÃO Científica por Catarina Chagas. Para acessar, clique aqui.

Estudos que sugerem ação de óleos essenciais de gerânio, limão e melaleuca sobre o coronavírus SARS-CoV-2 são preliminares.

O aplicativo parceiro Eu Fiscalizo compartilhou com nossa equipe mais uma denúncia de fake news nas redes sociais – desta vez, um post no Instagram afirmando a ação de óleos essenciais de gerânio, limão e melaleuca contra o coronavírus SARS-CoV-2, causador da COVID-19. Procuramos a química Joyce Kelly da Silva, pesquisadora da Universidade Federal do Pará e especialista em química de produtos naturais, para conversar sobre o tema.

“Existem na literatura vários trabalhos que abordam o uso de óleos essenciais contra vírus respiratórios, como o da gripe”, diz a especialista. Esse foi um dos motivos pelos quais Silva, no começo da pandemia, pesquisou a potencial ação dessas substâncias sobre o SARS-CoV-2.

No estudo, publicado em maio de 2020, a pesquisadora e colaboradores avaliaram 171 compostos presentes em óleos essenciais quanto ao seu potencial de interação com proteínas presentes no vírus causador da COVID-19. “Criamos modelos teóricos para prever a interação desses compostos com o SARS-CoV-2, mas não obtivemos resultados expressivos. Um dos compostos apresentou potencial de interação, mas não tão forte a ponto de ser capaz de inativar o vírus, segundo nosso modelo”, explica. E completa: “Os resultados que nós observamos não eram os esperados. Nossa conclusão maior foi que os óleos essenciais não atuariam diretamente sobre o vírus”.

Segundo a cientista, é possível que alguns óleos essenciais possam ajudar no alívio de certos sintomas da COVID-19, como já se observou no caso de outras doenças respiratórias. Porém, isso não foi avaliado no estudo que ela conduziu. 

Embora a postagem enganosa no Instagram inclua o link para dois artigos científicos publicados, ambos são preliminares e insuficientes para qualquer recomendação terapêutica. Um deles, sobre o potencial do óleo essencial de melaleuca, é, como o trabalho de Silva, uma simulação da ação de certos compostos sobre duas proteínas do SARS-CoV-2.

O segundo, sobre os óleos essenciais de gerânio e limão, descreve um estudo realizado em células humanas, porém não houve teste direto com o SARS-CoV-2. O trabalho avaliou se as substâncias eram capazes de inibir os receptores celulares envolvidos na infecção pelo coronavírus.

“O estudo mostra que há um efeito dos óleos essenciais extraídos de limão e gerânio sobre esses receptores. Mas não sabemos se essa inibição dos receptores vai, de fato, reduzir a infecção pelo SARS-CoV-2. São necessários outros estudos”, avalia a microbiologista Jordana Coelho dos Reis, da Universidade Federal de Minas Gerais.

Nenhum dos dois trabalhos, portanto, é suficiente para recomendar a utilização de qualquer óleo essencial como tratamento ou prevenção contra a COVID-19. Vacinação, uso de máscaras, distanciamento social e higiene das mãos seguem como as principais estratégias para o enfrentamento da pandemia.

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin
Share on telegram
Share on google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Fonte
Contraste