Hospitais infectam pacientes com bactéria que causa trombose para inflar casos de Covid-19?

Publicado originalmente em Nujoc Checagem por Márcio Granez. Para acessar, clique aqui.

A informação está circulando novamente nas redes sociais, dessa vez em vídeo no Facebook

Adriano Azevedo se apresenta como “político” em sua página no Facebook. É dele o vídeo que vem circulando pelas redes sociais, com a informação de que a trombose é a causa das mortes atribuídas ao novo coronavírus. A mensagem foi enviada ao NUJOC para verificação pelo aplicativo Eu Fiscalizo, da Fundação Oswaldo Cruz.

Simpatizante da Aliança pelo Brasil, movimento conservador que apoia o presidente Jair Bolsonaro, Azevedo afirma que tem ouvido comentários sobre as mortes na Itália e demais países europeus estarem sendo causadas por uma bactéria. Ele diz que já vinha falando isso desde o ano passado: que a causa das mortes não é pela Covid-19, e sim pela bactéria Legionella pneumophila.

A informação não procede. As mortes pela Covid-19 são causadas pelo Sars-Cov-2, nome científico do novo coronavírus. No ano passado circularam boatos sobre a suposta origem bacteriana da doença, que causaria as tromboses em alguns pacientes. As tromboses teriam sido descobertas em necropsias feitas em pacientes italianos ou, em outra versão do mesmo boato, alemães. Fizemos a checagem desmentindo essa informação no ano passado em mais de uma ocasião, como você pode conferir aqui e aqui. Ao mesmo tempo em que contesta o uso de respiradores, Azevedo também afirma que a bactéria estaria sendo transmitida intencionalmente através do soro nos hospitais do mundo inteiro: “Como é que essa pessoa adquiriu essa Legionella pneumophila? Veja bem, a pessoa estava com gripe e foi para o hospital. Chegando no hospital, ela adquire uma doença que vai lhe dar trombose. Aí ela vai para o respirador, né, e o efeito é nulo do respirador. Sempre falei que respirador não serve pra nada. Muitos médicos já tão falando nisso e alguns até denunciando sobre isso. Então você tem uma pessoa infectada com Legionella pneumophila, desculpe eu falar, meu amigo, mas ela foi infectada com isso aí no hospital. (…) Eles foram contaminados no mundo inteiro porque os diretores de hospital concordam com isso. E eles colocam isso aí no soro, e a pessoa vai pro pau e vai tudo por conta do corona”, explica Azevedo.

A afirmação de que a bactéria Legionella pneumophila está sendo disseminada intencionalmente por meio do soro nos hospitais não tem qualquer prova nos fatos. Confira aqui checagem feita pela agência Aos Fatos, explicando a origem viral da Covid-19. Também a afirmação de que os respiradores não têm eficácia no tratamento dos infectados pela Covid-19 é absurda. Esses instrumentos têm salvado milhares de vida no Brasil e no mundo desde o início da pandemia, e seu uso nos casos graves é a diferença entre a vida e a morte. Confira neste vídeo a explicação do médico Drauzio Varella sobre a importância dos respiradores para os pacientes infectados pelo novo coronavírus.

Adriano Azevedo: a culpa é da bactéria. Imagem: Reprodução/Facebook

Azevedo sustenta que a infecção pela bactéria se daria pela água e pelo consumo de alimentos embutidos, enlatados e empacotados, “principalmente os empacotados, aqueles que vêm naquele pacote de alumínio”, detalha.

A infecção pela bactéria Legionella pneumophila não tem relação com o consumo de alimentos industrializados: acontece pela água em determinadas condições de armazenamento, como explica a página sobre a bactéria na Wikipédia. Ela “ocorre principalmente na inalação de vapor, gotículas de água ou neblina contaminadas com a bactéria, oriundas principalmente de chuveiros domésticos, torres de resfriamento, condensadores evaporativos e bandejas de gotejamento de condensado, sobretudo quando existe algum depósito de água como nos aquecedores por acumulação, fontes decorativas, todo processo que produz aerossol e spray de água”.

Página do Facebook de Adriano Azevedo: simpatia pela agenda conservadora. Imagem: Reprodução/Facebook

De qualquer forma, não há relação entre essa bactéria e a Covid-19. Azevedo admite no final de seu vídeo que já se enganou antes sobre alguns assuntos: “Eu nunca estive enganado na história da minha página. Eu enganei, assim, com algum tipo de notícia, mas na área de ciência, nunca”.

Ele se engana novamente no caso da informação científica sobre o soro contaminado pela Legionella pneumophila e nas demais informações de seu vídeo de alerta, que já gerou mais de 3,5 mil reações no Facebook. Trata-se de uma fantasia que se aproxima das teorias conspiratórias sobre o novo coronavírus, muitas delas já checadas anteriormente aqui no Nujoc Checagem.

Compartilhe:

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on email
Share on linkedin
Share on telegram
Share on google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Language »
Fonte
Contraste